Atualmente estamos passando por uma época de forte transformação digital. Novas tecnologias estão surgindo, problemas antigos estão sendo solucionados e soluções inovadoras estão facilitando nosso dia a dia e as operações das empresas. 

Neste cenário, as empresas que não se reinventarem, não se preocuparem com a transformação digital e não requalificarem a força de trabalho não ascenderão. Segundo um estudo do McKinsey Global Institute, “a tarefa enfrentada por todos os participantes do cenário econômico, ainda mais em economias avançadas, provavelmente será retreinar e redistribuir dezenas de milhões de trabalhadores de meia-idade no meio de suas carreiras”.

Era de Transformação Digital

Cada vez mais, novas tecnologias estão surgindo. E essas tecnologias nos ajudam a aumentar nossa produtividade e alavancar os resultados da empresa. Porém, muitas pessoas não possuem as habilidades e conhecimentos necessários para utilizar essas novas tecnologias.

Por esse motivo é extremamente necessário que as organizações capacitem e incentivem o aprendizado dos funcionários, para que eles desenvolvam as habilidades necessárias nessa nova era de transformação digital.

Segundo um estudo da McKinsey, “62% dos executivos acreditam que terão que retreinar ou substituir mais de um quarto de sua força de trabalho entre agora e 2023 devido ao avanço da automação e da digitalização”. 

Os colaboradores precisam ser motivados

Hoje em dia, os melhores talentos desejam trabalhar em empresas que acreditem que a aprendizagem seja prioritária e que investir no futuro de funcionário seja essencial.

Para sua empresa ter uma vantagem competitiva, seus colaboradores precisam estar em constante evolução e estarem aprendendo coisas novas a todo momento. Isso faz com que eles se atualizem em relação ao mundo corporativo e saibam além de sua especialização, conseguindo trazer novos insights para a empresa, fazendo com que ela se inove constantemente.

Incentivando os colaboradores a aprenderem constantemente, faz com que eles ampliem seu repertório e criem uma vantagem competitiva tanto profissional quanto para a empresa.

Vantagem Competitiva para a Empresa

Atualmente, o treinamento da força de trabalho não está mais sendo visto apenas como um treinamento, mas sim uma estratégia empresarial. Em empresas como a Visa, por exemplo, a requalificação dos colaboradores não é mais função da área de Recursos Humanos e sim da área estratégica da empresa.

Uma pesquisa da Deloitte mostra que empresas de aprendizagem de alto impacto (HILOs, high-impact learning Organizations) atingem em quatro anos um crescimento nos lucros três vezes maior do que empresas que não seguem uma estratégia de aprendizagem de alto impacto.

“À medida  que as empresas se tornam redes – redes de pessoas não apenas empregadas por você, mas de dentro e de fora da empresa – as habilidades são o que formam as conexões. As redes se formam ao redor do que uma pessoa pode fazer, e empregamos pessoas pelo que elas podem fazer, assim como seu propósito em fazê-lo” (Tim Mudern, diretor de aprendizagem da Unilever dos Estados Unidos).

Deixe uma resposta