Já passou por uma experiência não tão boa em treinamentos nas empresas? A resposta costuma ser positiva. Mais que isso, um enorme grupo de pessoas coleciona histórias pouco memoráveis em processos de capacitação no ambiente corporativo, que acabam gerando desperdício em recursos e horas investidos no processo.

As empresas ainda falham ao oferecer experiências pouco interessantes, o que não ajuda na hora de aumentar a retenção de conhecimento.

Com tantas alternativas criativas e inovadoras bombardeadas diariamente e que tornam a nossa vida mais fácil, não dá mais para treinar os colaboradores usando ferramentas como Power Point, Telas de Sistema, só para citar algumas. Ou você acha que essas experiências conseguem reter mais atenção que toda a User Experience implentada nos aplicativos mobile que estão ali, ao alcance das mãos dos colaboradores?

É por isso que a gamificação tem sido cada vez mais utilizada nas organizações. O objetivo é aumentar o engajamento através de mecânicas de jogos que servem para atingir melhores resultados em atividades da vida real. Além disso, quando a pessoa está relaxada, o aprendizado acontece de maneira mais fácil.


Por isso a premissa da Kludo é uma nova versão da pergunta que abre esse texto: Quem disse que treinamentos não podem ser divertidos? Nós que não!

Quer conhecer dois cases de treinamentos gamificados? Clique aqui e veja como Sanofi e Accenture revolucionaram nesse quesito junto com a Kludo!

Deixe uma resposta